Para ouvir na prática de Yoga – Vol 2

Para ouvir na prática de Yoga - Vol 2Trazemos mais uma de nossas propostas para músicas na prática de Yoga.

Abaixo, separamos uma nova sequência musical. Com um pouco menos de trinta minutos, pode ser usada para sequencias curtas em casa, finalizando com um relaxamento.

Dê play e boa prática.

 

Acesse também: Prática de Yoga – Vol 1

Namastê!

😉

Portas abertas para a saúde: Mauro Galasso

Descobri uma prática que vai comigo onde eu for - Mauro Galasso, aluno Espaço Virya.

Descobri uma prática que vai comigo onde eu for – Mauro Galasso, aluno Espaço Virya.

Trata-se de uma Iniciativa para apresentar o real potencial do Espaço Virya, demonstrando suas atividades psicofísicas. Funciona como um convite para conhecer melhor nossa equipe e estrutura de atendimento.

Nesse primeiro artigo o aluno Mauro Galasso (41), que é professor universitário e gestor de conteúdo para mídias, fala mais sobre suas descobertas com a prática de Yoga.

Explique um pouco sobre os motivos de buscar nossa ajuda: tempo que conheceu nosso espaço e os principais motivos de procurar nosso apoio psicofísico.

Comecei a praticar Yoga aqui no Espaço Virya em novembro de 2012. Buscava algo que promovesse bastante alongamento, já que trabalho muito tempo sentado e o incômodo nas costas e dores nos punhos (digitação) eram pontos que me incomodavam cada vez mais.

Depois de nadar, pedalar, correr e musculação, não me encaixava mais nessa modalidades de exercícios. Sentia-me insatisfeito e desanimado em enfrentar academias. Vim para uma aula experimental por indicação de um ortopedista e logo nas primeiras aulas percebi meu desejo em investir nessa prática.

Quais são os benefícios adquiridos durante esse período na prática de Yoga? O que essa atividade trouxe para seu cotidiano?

Primeiro, acho que tem haver com meu pensamento sobre a prática em si. Antes achava uma atividade distante de minhas habilidades motoras, pois do pouco que sabia sobre Yoga, me vinha a mente um grau de dificuldade em equilíbrio e força. Passado dois anos, vejo que tem sido uma questão de elevar a confiança em mim.

Em segundo, as dores nas costas foram aliviadas a partir do momento que, aprendi mais sobre os detalhes de cada postura ou sequência de exercícios. Importante perceber meus limites e a capacidade de meu corpo e mente. Compreendo melhor o processo de alongamento e fortalecimento simultâneo de todos os músculos. Aprendi que pessoas como eu, que trabalham muito tempo sentado, inibem a atividade de uma série de músculos por todo o corpo.

Em terceiro, descobri uma prática que vai comigo onde eu for. Agora enxergo Yoga desde o espreguiçar de manhã ainda na cama, até na postura para trabalhar ou dirigir. Já tive oportunidade de realizar algumas sequencias de alongamento durante viagens e até mesmo na praia. Quero agora conquistar a disciplina de inserir 30 minutos de prática em casa, intercalando com as aulas aqui no Espaço Virya.

Quero que a Yoga seja parte de minha vida daqui pra frente.

Namastê.

Posturas de Yoga para aliviar a rigidez no quadril

Seis posturas para abertura de quadril - capaPor: Roberta Thomaz

Se você passa muito tempo sentado, provavelmente sente dores na altura da bacia e na base das costas. Com estas duas sequências, você exercitará suavemente os quadris, liberando também a tensão na região lombar e nas pernas.

Dividido em dois blocos de exercícios, podem ser usados separadamente (alternando um a cada dia), como também sendo feito em sequência, caso tenha mais tempo para dedicar.

Incorpore à sua prática diária e notará bons resultados.

 

Seis Posturas de Yoga para aliviar a rigidez do quadril

PRANCHA A

1 - quadril_prancha_A

  1. Supta baddakonasana – Você pode modificar a postura posicionando bloquinhos, livros ou uma coberta dobrada embaixo dos joelhos, dando suporte às pernas. Permanência de 5-10 respirações longas.
  1. Agnistambhasana – Não se preocupe caso não consiga posicionar o joelho no topo do seu pé e vice-versa – apenas faça o melhor possível. Não esqueça de flexionar os pés para proteger os tornozelos. Permanência de 5-10 respirações longas.
  1. Agnistambhasana com extensão – Partindo da postura 2, ponta dos dedos à frente, mantenha as escápulas uma em direção a outra. Em seguida, troque o cruzamento das pernas e repita as posturas 2 e 3. Permanência de 5-10 respirações longas.
  1. Ananda Balasana alternando as pernas – Segurando a borda externa do pé, convide a coxa a se aproximar do tronco ou da lateral dele. Permanência de 5-10 respirações longas para cada perna.
  1. Malasana – Pode ser feita com a planta dos pés no chão ou modifique vindo para a ponta dos pés. Com as mãos em prece, pressione os cotovelos em direção às pernas e pressione-as para afastá-las. Permanência de 5-10 respirações longas.
  1. Eka Pada Raja Kapotasana – Trabalha os flexores do quadril e também a abertura do peito. Permanência de 5-10 respirações longas para cada lado.

 

Seis Posturas de Yoga para o quadril externo

PRANCHA B

2 - quadril_prancha_B

  1. Gomukasana – aqui mostro sem a variação nos braços. Querendo aprofundar a postura, leve o tronco na direção das pernas. Permanência de 5-10 respirações longas para cada lado.
  1. Supta Padangusthasana – variação usando cinto. Postura passiva que parece não ter efeito pela facilidade na execução, mas na verdade é o oposto. Permite que você relaxe e deixe o alongamento acontecer. Permanência de 5-10 respirações longas para cada lado.
  1. Utthan Pristhasana – variação deixando a perna cair para a lateral, deixando o pé de lado. Caso não chegue com os antebraços, mantenha as palmas das mãos no chão. Permanência de 5-10 respirações longas para cada lado.
  1. Eka Pada Raja Kapotasana – Trabalha flexores do quadril e abertura do peito. Outra variação é soltar o tronco em cima da perna que está a frente e estender os braços ou apoiar a testa sobre as mãos. Permanência de 5-10 respirações longas para cada lado.
  1. Parivrtta Trikonasana – Caso não alcance a palma da mão no chão, use as pontas dos dedos (ou um bloquinho). Sentindo incomodo na cervical, mantenha o olhar à frente ou para o chão. Se estiver acostumado com a postura, olhe em direção ao polegar da mão que aponta para o céu. Permanência de 3-5 respirações para cada lado.
  1. Uttanasana variação com as pernas cruzadas – Fique ereto com as pernas cruzadas, pés paralelos (juntos ou afastados) e joelhos levemente flexionados. Flexione o tronco para baixo, trazendo-o na direção das pernas. Permanência de 5-10 respirações longas e troque o cruzamento das pernas.

 

*Lembre-se: em caso de dúvida, consulte seu instrutor. Sempre respeite os limites do seu corpo.

 

Namastê! 🙂

 

Dicas para Yoga em casa

Yoga em casa - capaSe você já faz aulas de Yoga, saiba que ela pode acompanhar você onde for. O ideal é ajustar uma continuidade (se possível diária) da prática fora do ambiente de academias e estúdios. Isso poderá trazer mais evolução para cada postura e melhorar a sensação de bem estar do corpo e mente.

Busque junto ao seu professor (orientador) de Yoga como acrescentar esse complemento de exercícios e meditação ao ritmo das aulas que você já faz normalmente. Com ciclos básicos e de curta duração você pode encaixar um tempo na sua rotina diária para melhorar alongamento e equilíbrio. Comece com o básico (“Saudação ao Sol” por exemplo), algo que esteja alinhado com o que já sabe fazer.

Lembre-se: a ideia é complementar suas aulas, então não se apresse e nem tente posturas complexas que exigem a supervisão de um professor

Com alguns ajustes você pode achar um espaço para sua prática em casa

Com alguns ajustes você pode achar um espaço para sua prática em casa

Então vamos lá, afaste móveis e reserve um espaço para dedicar atenção a você e seu corpo. Veja as dez dicas para garantir que esses momentos ganhem espaço na sua agenda:

1- Não tenha expectativas – a maioria das vezes não conseguimos iniciar uma prática em casa pois a idealizamos demais. Imaginamos que devemos praticar por 1 hora para obtermos resultados, executar com perfeição as técnicas ou repetir exatamente a aula que aprendemos com instrutores. Devemos iniciar com o tempo que for possível e com as técnicas que dominamos, sejam “básicas” ou “avançadas”. Yoga é um caminho, é dia após dia.

2- Proponha-se a Meditar – reserve um tempo para se distanciar do mental viciado, compulsivo por pensamentos e condicionado. Busque uma pausa para afastar-se do furacão que nos mantem adormecidos. Comece nem que seja com 1 minuto ao dia. Após alguns dias, passe para 5 minutos e vá aumentando conforme você sinta que será possível manter. Determine local e hora do dia. Crie um ritual para tal.

3- Defina melhor horário e tempo real disponível – período/ horário do dia, quantas vezes por semana, dias da semana e tempo disponível pra prática. Mas seja flexível, pois nem sempre é possível manter a mesma rotina. Prepare-se para outras possibilidades como viagens, compromissos inadiáveis, etc.

4- Escolha um espaço – um canto da casa, mesmo aquele que você tenha que arrastar um móvel para abrir um espaço suficiente para um mat, mas que seja sempre o mesmo, facilita para ter disciplina.

5- É interessante adquirir um mat  além de amortecer seu corpo contra o  solo, funciona como um ambiente móvel para praticar em parques, viagens, praia.

6- Inicie com asanas mais simples – Ajuda a dominar a técnica de forma gradual e garante o avanço sem risco de causar lesões ou mesmo desanimo pela deficiência em execuções mais complexas.

7- Tenha sequências da prática pronta e treine por algumas semanas antes de iniciar nova sequência.

8- Determine um tempo para cada Asana.

9- Pense em praticar um tipo de pranayama especifico por mês – sinta os efeitos, interiorize a técnica e perceba qual pranayama você prefere.

10- É melhor uma prática simples mas que seja constante– constância é fundamental para trilhar o caminho do Yoga (uma filosofia de vida prática não se avança somente com teorias).

Namastê.

Um bom investimento pode ser dois "tatames" (1m x 1m)

Um bom investimento: dois “tatames” (1m x 1m)

 

Dicas de Jakeline Mejorado – site Yoga na prática

Para ouvir na prática de Yoga – Vol 1

O uso de música durante a prática de Yoga gera inúmeras opiniões.
Muitos alegam que ela pode dispersar atenção e prejudicar o foco. Outros apontam como uma boa solução para eliminar as distrações externas ao seu momento.

A música pode ser utilizada como uma conexão entre a prática e seu eu interior. Mostra uma cadência e associa ciclos que ajustam a respiração, o que desperta a nossa percepção sutil. Funciona como um instrumento que conecta corpo, mente e espírito.

Muitos alunos descrevem uma situação mais confortante e motivadora quando realizam aulas (ou em casa) com música. Assim, trazemos uma dica para ouvir na prática de Yoga. Uma playlist com 53 minutos de músicas inspiradoras. Perfeitas para sua prática individual ou com família e amigos.

Dê play no link abaixo e inspire-se. Namastê.

.

.