2ª parte Chakras – Testa e Ajna

Chakras - capa segunda parteEntendendo melhor sobre cada um deles

Assim como há a anatomia do corpo físico, podemos perceber também uma anatomia espiritual (ou sutil) no Ser Humano. Nela estão inúmeros chakras e centros energéticos. Dando continuidade ao artigo Chakras – entendendo sua importância, começamos uma série de artigos onde ressaltaremos os 12 principais Chakras de nosso corpo, mostrando as características de cada um deles.

12 prinicpais Chakras

Abaixo trazemos mais dois destes vórtices que funcionam como usinas geradoras de energia do corpo:

3-  Testa

Localizado no centro da testa, é responsável pelas faculdades da memória, das visões intuitivas e da grande percepção. É um centro energético oculto que a maioria das pessoas desconhece. A agitação emocional e a capacidade de sentir prazer, incluindo o orgasmo, também são parcialmente reguladas por esse chakra, que controla o centro do prazer e da dor, além do sistema límbico.

O chakra da Testa regula e controla a glândula Pineal, o sistema nervoso e as funções do cérebro frontal.

Responsável também pela visão interna, visão espiritual, percepção, maior clarividência, sensibilidade emocional a prazer e dor, memória e imaginação.

4-  Ajna

Situado entre as sobrancelhas, controla e energiza a glândula pituitária e todo o nosso corpo. É chamado de “chakra mestre”, justamente porque controla todos os chakras principais, além do sistema endócrino, portanto sua ativação consegue afetar todos os órgãos vitais.

Funciona como o centro da mente abstrata (ou superior) e é também o centro da vontade ou função diretora.

Com o estímulo e ativação desse centro, pode-se obter força de vontade e inteligência mental abstrata.

É responsável também pelo pensamento abstrato, baseado em princípios e atitudes mentais filosóficas. Controla nossa capacidade de entendimento mental e de termos criatividade através de ideias mais elevadas. Fortalece nossa resistência e força de vontade, pela capacidade de focalizar um ponto, pela virtude da disciplina e da consciência.

Veja também:

Namastê.

😉

Anúncios

1ª parte Chakras – Egóico e Coronário

Chakra Egoico - capaEntendendo melhor sobre cada um deles

Dando continuidade ao artigo Chakras – entendendo sua importância, trazemos uma série de artigos onde ressaltaremos os 12 principais Chakras de nosso corpo, mostrando as características de cada um deles.

Assim como há a anatomia do corpo físico, podemos perceber também uma anatomia espiritual (ou sutil) no Ser Humano. Nela estão inúmeros chakras e centros energéticos.

12 prinicpais Chakras

Abaixo descrevemos dois destes vórtices, que funcionam como usinas geradoras de energia do corpo:

1- Egóico

Centro Egóico, conhecido como “chakra esotérico”, fica 12 polegadas (30,5 cm) acima do topo da cabeça.

Mesmo não sendo conhecido pela maioria dos praticantes de Yoga e meditadores, trata-se de um dos chakras mais importantes na meditação esotérica, principalmente para praticantes mais avançados.

O centro Egóico, também conhecido como o chakra da alma encarnada ou do Ego, funciona como um grande software de encarnação para a personalidade completa. É o transmissor da força, do amor e da luz divina, além de ser mediador entre a alma e a personalidade. Não está ativo na maioria das pessoas, a menos que elas venham a desenvolver e utilizar a mente mais elevada ou abstrata.

2-  Coronário

Localizado no topo da cabeça, quando é estimulado com regularidade, esse chakra armazena as forças da intuição, do amor incondicional e da sabedoria, além de levar inspiração à alma.

Sendo um dos centros energéticos mais importantes, deve ser ativado e fortalecido para uma meditação avançada. Importante para o desenvolvimento de faculdades mais elevadas, o que leva à vivencia da iluminação ou expansão da consciência.

Estimula às virtudes da benevolência, do altruísmo, do sacrifício, do desprendimento, da consciência global, da intuição, da visão espiritual, da sabedoria, da serenidade, do contentamento e da inspiração.

Controla e comanda as funções centrais do Cérebro, incluindo a glândula pineal, considerada a principal das glândulas endócrinas.

Veja também:

Namastê.

😉

Dicas de meditação pelo “guru do Google”

Chade-Meng Tan

Chade-Meng Tan

Empresas como o Facebook, o Twitter e o LinkedIn usam o treinamento para melhorar a qualidade de vida e o ambiente de trabalho de seus funcionários. O engenheiro Chade-Meng Tan é tão entusiasta do assunto que, depois de ministrar cursos sobre meditação para mais de mil colegas e lançar o livro “Procure Dentro de Você” (Editora Novas Ideias), ele se tornou o guru informal do Google, onde trabalha desde 2000.

Abaixo apresentamos uma entrevista com Meng, onde ele aponta dicas para alcançar uma melhor prática da meditação dentro do ambiente de trabalho.

  • Qual é a importância da meditação no ambiente de trabalho?

A meditação é como um exercício. Se você medita, vai ganhando aptidão mental e emocional. Com isso, todos os aspectos da sua vida melhoram, incluindo saúde, felicidade e produtividade. E, obviamente, para as empresas, é importante ter funcionários saudáveis, felizes e produtivos. Por isso, a meditação é tão importante.

  • Como isso funciona?

Alguns estudos já provam que a meditação pode melhorar, por exemplo, a resistência contra o resfriado. Além disso, as pessoas aprendem a lidar melhor com o stress e têm mais energia, logo se tornam mais produtivas. A felicidade também é um benefício importante, tanto em casa quanto no trabalho. Se o funcionário é feliz na empresa, ele trabalha com mais determinação e a organização prospera.

Tem também a criatividade. A meditação acalma a mente, deixando-a alerta e relaxada, o que cria condições para o pensamento criativo.  E, finalmente, a meditação é relacionada com a capacidade de ouvir os outros e melhorar os relacionamentos sociais. Portanto, quando a pessoa medita, causa menos atritos com outros funcionários.  Por isso, é uma vantagem tanto pessoal quanto profissional.

  • Não é irônico pensar que, em um ambiente competitivo como o do trabalho, as pessoas possam usar os benefícios da meditação para tirar vantagem sobre os colegas?

Isso é possível, mas só se o treinamento não for feito de forma correta. Se a meditação for direcionada apenas para a melhora da concentração, então o praticante pode, sim, usar essa aptidão para prejudicar os outros. Na tradição que eu venho [budista], temos uma palavra para isso: miccha samadhi, que significa “concentração errada”.

Um treino completo de meditação deve incluir sabedoria e compaixão, além da concentração. Sabedoria inclui o desenvolvimento de uma visão sobre as causas dos sofrimentos e das alegrias. Compaixão inclui a motivação de servir a um bem maior.

Se o praticante faz o treino completo, ele vai descobrir uma fonte de alegria que não depende de prazer sexual ou do ego. Isso significa que ele não vai mais precisar prejudicar ninguém para se sentir feliz, porque ele já é feliz através de caminhos saudáveis.

  • A meditação funciona para qualquer tipo de profissional?

Com certeza. Lembre-se de que a meditação desenvolve aptidões físicas e mentais como um exercício na academia. Não importa se você é um gerente ou um engenheiro, se você está bem fisicamente, vai trabalhar mais efetivamente. O bem estar emocional também pode ajudar qualquer carreira, independente do trabalho.

  • Qual é o melhor tipo de meditação para fazer no trabalho?

Existem maneiras muito práticas de se meditar no trabalho. Uma delas, é fazendo pequenas pausas mentais. Em outras palavras, descanse a mente por um período muito curto de tempo, mas frequente.

Você só precisa se concentrar na sua respiração, por apenas um suspiro, por exemplo. Só isso. A melhor coisa é que você não precisa parar de fazer nada do que você está fazendo. Você não precisa parar de trabalhar e ir para uma sala. Dá para fazer isso enquanto você estiver indo para o banheiro, ou esperando um programa do computador abrir. Isso traz benefícios a custo zero.

Para os gestores, outra boa forma de meditar é a prática da gentileza. A cada hora, durante dez segundos, escolha duas pessoas aleatórias e pense consigo mesmo: “Eu desejo que essa pessoa seja feliz, e desejo que essa outra também seja feliz”. Não precisa dizer nada, só pensar. Quando você faz isso com frequência, desenvolve um hábito mental, que, no caso, é o hábito da gentileza.

Namastê.

😉

Fonte: Revista Galileu

Shiva em Nataraja

Shiva em NatarajaNeste aspecto, Shiva aparece como o rei (raja) dos dançarinos (nata). Nataraja está dentro de um círculo de fogo, símbolo da renovação. Com sua dança ele cria, conserva e destrói o universo.

Representa o eterno movimento do universo que foi impulsionado pelo ritmo do tambor e da dança. Apesar de seus movimentos serem dinâmicos, como mostram seus cabelos esvoaçantes, Shiva Nataraja permanece com seus olhos parados, olhando internamente, em atitude meditativa. Ele não se envolve com a dança do universo pois sabe que ela não é permanente. Como um yogue (praticante de Yoga), ele se fixa em sua própria natureza, seu ser interior.

Em uma das mãos, ele segura o Damaru, o tambor em forma de ampulheta com o qual marca o ritmo cósmico e o fluir do tempo. Na outra, traz uma chama, símbolo da transformação e da destruição de tudo que é ilusório. As outras duas mãos, encontram-se em gestos específicos. A direita, cuja palma está a mostra, representa um gesto de proteção e bênçãos (abhaya mudrá). A esquerda representa a tromba de um elefante, aquele que destrói os obstáculos.

Nataraja pisa com seu pé direito sobre as costas de um anão. Ele é o demônio da ignorância interior, a ignorância que nos impede de perceber nosso verdadeiro eu. O pedestal da estátua é uma flor de lótus, símbolo do mundo manifestado.

A imagem toda nos diz: “Vá além do mundo das aparências, vença a ignorância interior e seja como o Sr Shiva, o meditador, aquele que enxerga a verdade através do olho que tudo vê (terceiro olho, Ájña Chakra).”

Namastê.

 

*Editado à partir de Wikipedia

Como escolher incenso?

Como escolher incensoNossos ancestrais acendiam suas fogueiras e percebiam que a fumaça seguia para o céu, a morada dos deuses. Com a ideia de agradar e de se comunicar com essas divindades, começaram a queimar ervas aromáticas em cerimônias e rituais, surgindo assim a primeira manifestação dos incensos.

O uso de incensos sempre foi comum em várias civilizações e em épocas diferentes da história da humanidade. Em geral, eram usados por sacerdotes e magos, em rituais religiosos ou mágicos.

Hoje, o uso de incensos se proliferou de tal maneira que qualquer pessoa compra e usa incensos com a maior naturalidade e facilidade.

Incensos de boa qualidade trazem conforto sem irritar as vias respiratórias. Aprenda a escolher:

  • Composição – muitos incensos disponíveis no mercado têm componentes que fazem mal à saúde, como chumbo, breu, goma arábica, formol e benzeno. Prefira aqueles feitos apenas com ervas, plantas e especiarias.
  • Fumaça  deve ser branca. Isso indica a presença de elementos naturais e atóxicos.
  • Essencial ter pó de sândalo, pois é ele que propicia a sensação de bem-estar, já que possui propriedades calmantes.
  • Teste  incensos de baixa qualidade têm muito carvão, outro irritante respiratório. Esfregue a vareta na mão, se ela ficar preta, contém o material.

 

Como escolher incenso - aromas e suas funçõesPara que usar um incenso?

Aromatizar e perfumar uma sala antes e/ou durante um encontro, festa ou meditação.
Eliminar odores pois é um dos melhores e mais naturais desodorizantes.
Relaxar ou energizar, dependendo do aroma a ser utilizado (ver tabela abaixo).
Limpar energeticamente, evitando a impregnação energética. Lembre-se que o subtil fumo penetra em frequências e ambientes, impossíveis por outras formas.
Cuide do incenso como se cuida de uma vela. Lembre-se que tem fogo, e que esse fogo queima! O melhor meio é utilizar um porta-incenso onde estará seguro e evitará sujar a superfície.

Veja uma lista que indica o uso para cada fragrância:

ACÁCIA – Tranquilidade
ABSINTO – Estimulante geral para cansaço mental e físico
ALECRIM – Boa sorte
ALFAZEMA – Serenidade
ALMÍSCAR – Amor
ÂMBAR – Coragem
Amor-perfeito – Purifica ambientes, ajuda nos estudos, amor, elevação das vibrações
ANGÉLICA – Espiritualidade
ANIS – Para despertar o amor interno, para despertar forças.
ARRUDA – Limpeza psíquica e física
BÁLSAMO – Relaxamento
BÁLSAMO ROSA – Acalma, purifica ambientes, ajuda nos estudos, amor.
BENJOIM – Protecção física e psíquica
CAMOMILA – Calmante e bons sonhos
CANELA – Prosperidade
CEDRO – Relaxamento
COCO – Estimula o bem-estar.
CRAVO – Limpeza astral
CÂNFORA – Purificação
DAMA DA NOITE – Romance
ERVA DOCE – Atracção
EUCALIPTO – Renovação
FLOR DE PITANGA – Incentiva a criatividade
FLOR INDIANA – Purifica as vias respiratórias.
FLORAL – Afasta sentimentos negativos
FLOR DE LARANJEIRA – Boa sorte no amor
FLOR DE LÓTUS – Auto-conhecimento
FLOR DO CAMPO – Harmonia com os seres da natureza
GERÂNIO – Vitalidade
HELIOTRÓPICO – Amor.
HORTELÃ – Prosperidade
INCENSO DOS ANJOS – Ajuda – protecção – agradecimento
INCENSO DOS ARCANJOS – Ajuda – protecção – agradecimento
JASMIM – União – inspiração
LÍRIO DO VALE – Intuição – pureza
MAÇÃ – Boa sorte
MADEIRA DO ORIENTE – Sucesso
MEL – Boa sorte e prosperidade
MIRRA – Purificação e protecção
MORANGO – Boa sorte
MUSK – Sensualidade
Noz-moscada – Diminui a ansiedade.
ÓPIUM – Criatividade
ÓPIUM ROSA – Sensualidade.
ORQUÍDEA – Harmonia e amor
PATCHOULI – Amor
PÊSSEGO – Boa sorte
ROMANUS – Para despertar forças.
ROSA BRANCA – Harmonia
ROSA MÍSTICA – Fé e paz de espírito
ROSA MUSGOSA – Meditação
ROSA VERMELHA – Amor
SÂNDALO BRANCO – Espiritualidade
SÂNDALO VERMELHO – Protecção
VERBENA – Criatividade e inspiração
VETIVER – Sucesso
VIOLETA – Paz
YLANG YLANG – Afrodisíaco

 

Fonte: Revista Bons Fluídos / Casa Santa