As sete leis espirituais do sucesso (dica de livro)

Testando limites - Gabriela Andersen-Scheiss

Testando limites – Gabriela Andersen-Scheiss

Você não sabe o que seu cérebro pode fazer até que você teste seus limites

(Deepak Chopra)

Nesta obra que é um sucesso mundial, o autor Deepak Chopra propõe expor leis naturais que, de acordo com a sabedoria indiana, regem as relações entre homem e natureza, terra e cosmo. Explica princípios que levam à satisfação do espírito e ao sucesso material. Mostra ainda, como aplicá-los no dia a dia e alcançar uma revolução interna e uma transformação da realidade exterior.

as-sete-leis-espirituais-do-sucesso-capa-do-livroCom este livro, Chopra mostra um rompimento com a ideia mais tradicional de sucesso que diz que este é sempre consequência de um trabalho árduo, planos detalhados ou ambição. Pelo contrário, o sucesso será a tradução da serenidade e do bem-estar, de profundos sentimentos de alegria e realização pessoal. Um conceito que propõe uma maior/melhor compreensão das necessidades da alma humana e daquilo que é capaz de realizá-la.

O livro enumera o que chama de SETE LEIS ESPIRITUAIS que, se entendermos e aplicarmos em nossas vidas, tudo o que quisermos pode ser criado, “porque o mesmo campo que a natureza utiliza para criar uma floresta, uma galáxia, ou um corpo humano, também pode efetuar a realização de nossos sonhos”.

Abaixo apresentamos um resumo sobre as “sete leis espirituais do sucesso”, conforme resumido a seguir:

1) Lei da Potencialidade Pura – A fonte de toda criação é a consciência pura ou pura potencialidade, buscando a expressão do não-manifesto para o manifesto. Com a prática diária do silêncio, da meditação, e do não-julgamento, e com a percepção de que nosso verdadeiro Eu é de pura potencialidade, nós nos alinhamos com o poder que tudo manifesta no Universo e obtemos o que desejamos.

2) Lei da Doação – O universo opera através de trocas dinâmicas. Dar e receber são diferentes aspectos do fluxo de energia. Com a nossa disposição de dar o que buscamos, mantemos a abundância do Universo em nossas vidas. A força motriz por trás da doação deve ser a felicidade – se quiser amor, alegria ou coisas boas, dê o mesmo aos outros.

3) Lei do Carma (Causa e Efeito) – Colhemos o que plantamos. Toda ação gera uma força de energia que retorna de modo análogo. Quando nossas ações e escolhas conscientes trazem felicidade e sucesso para os outros, o fruto de nosso carma será alegria e sucesso.

4) Lei do Mínimo Esforço – A inteligência da natureza funciona sem esforço – as flores não tentam desabrochar, elas desabrocham; os pássaros não tentam voar, eles voam. Se buscamos poder, dinheiro ou felicidade para a satisfação do ego, desperdiçamos energia; mas se nossas ações são motivadas por amor, harmonia e alegria, nossa energia se multiplica e podemos usar o excedente para criar o que quisermos.

5) Lei da Intenção e do Desejo – “Inerente a toda intenção e desejo, está a mecânica para a sua realização. E quando colocamos uma intenção no campo da pura potencialidade, colocamos este poder organizador infinito para trabalhar para nós”. No nível da mecânica quântica, o universo é uma extensão de nosso corpo, e nossa intenção detona transformações de energia e informação, e organiza sua própria realização.

6) Lei do Distanciamento – No distanciamento está a sabedoria da incerteza, e nesta sabedoria está a liberdade em relação ao nosso passado, ao conhecido, que é a prisão do condicionamento passado. Quando nos abrimos ao desconhecido, ao campo de todas as possibilidades, nos entregamos à mente criativa que orquestra a dança do universo. O apego é baseado no medo e na insegurança, e cria ansiedade. O apego excessivo aos bens materiais – símbolos transitórios do Eu – traz a sensação de inutilidade e vazio.

7) Lei do Darma (Propósito de Vida) – “Todos têm um propósito na vida… algo único para dar aos outros. E quando misturamos este talento com o serviço aos outros, experimentamos o êxtase de nosso próprio espírito, o que é objetivo último de todos os objetivos”. Primeiro, devemos descobrir nosso verdadeiro Eu; depois, expressar nossos talentos especiais; e finalmente, usar este nosso dom para servir a humanidade.

Deepak Chopra

Deepak Chopra

Sobre o autor

Pseudocientista, Deepak Chopra nasceu no ano de 1947 em Nova Deli, na Índia. Graduado em Medicina pela Universidade de Nova Deli, Chopra também escreve sobre espiritualidade e medicina corpo–mente, tema conhecido como ayurveda.

Especialista em endocrinologia, exerce a profissão desde 1971. Chefiou a equipe do New England Memorial Hospital, nos Estados Unidos e, em 1985, fundou a Associação Americana de Medicina Védica.

Escreveu mais de 25 livros de autoajuda, como A Cura Quântica, As Sete Leis Espirituais do Sucesso e Criando Saúde, traduzidos em 35 idiomas. A Revista Time incluiu o autor na lista das 100 personalidades do século, considerando Deepak Chopra “o poeta e profeta das medicinas alternativas”.

😉 Namastê

Fontes: [ livrariacultura.com.br ][ estantevirtual.com.br ][ wikipedia.org ]

Livro Manual do Herói

manual do heroi - capa livro

Autora: Sonia Hirsch

Segundo a editora Correcotia, o Manual do Herói “coloca ao alcance de leigos e estudiosos os conhecimentos básicos da medicina e da dietética chinesas… ultrapassa o conceito de alimentação natural e entra nas questões mais profundas da alimentação”.

Nada de receitas de drogas e regras chatas e técnicas que dão crises de ansiedade. Traz uma linguagem atraente e apresenta uma síntese da filosofia holística que os chineses desenvolveram em relação à alimentação. Prevenindo e equilibrando o organismo, evitamos desarmonias que causam doença.
Aborda alimentação, órgãos, energia vital, sangue, respiração sobre a ideia do Ying e Yang. Entendendo os processos internos e externos do corpo nos livramos das receitas do dia a dia. Facilita o entendimento do valor de trocar a “medicina da doença” por uma “medicina da saúde”.

Yin Yang - fogoYing & Yang

Tudo o que se quer entender carece de um mínimo de arrumação. Os chineses de antigamente, muito apaixonados pela observação e classificação dos fenômenos da natureza, arrumaram o mundo primeiro em yin e yang, a quietude e o movimento, o sombrio e o luminoso, o vazio e o cheio, a água e o fogo.

Essa forma de pensar, a princípio estranha, se torna simples e vigorosa quando nos acostumamos com ela – ou melhor, quando percebemos que yin e yang não são forças opostas e distintas, mas qualidades inseparáveis de um mesmo processo. Você joga a bola para cima, herói, e enquanto há impulso ela sobe, e isto é yang; acabado o impulso ela pára de subir e cai, e isto é yin. Yang: movimento. Yin: quietude.

Nada é yin ou yang o tempo todo. Quando um movimento atinge sua expressão máxima, se transforma no outro. Como uma onda no mar, que começa devagarinho, vai crescendo, mostra sua força, atinge seu máximo – e quebra, deixando despencar aquele monte de água e espuma.

Yin e yang refletem as mutações contínuas do próprio universo e nos dão a chave para compreender uma realidade sempre relativa, cheia de novidades e surpresas, e entretanto constante em seus ciclos temporais.

Namastê!

😉

Fonte: Editora Correcotia / Além das paredes

Para ler: O Casamento do Espirito

O Casamento do Espirito - opostosSinopse

Em 1971 na África do Sul, durante jantar com amigos, uma jovem artista sul-africana envolveu-se em uma discussão com seu marido (um médico) e seus convidados sobre os méritos da arte versus ciência. Em um ‘insight’, ela compreendeu que não havia uma diferença intrínseca entre ambas; que tanto arte como ciência provinham da mesma fonte e expressavam a mesma essência. Percebeu também que opiniões tão diversas estavam intrinsecamente ligadas às lutas de polaridadesfeminino-masculino, intuição-lógica, certo-errado – em um país marcado pela segregação racial.

Na manhã seguinte, enquanto pintava em seu estúdio, Leslie Temple-Thurston teve a compreensão clara de que seus insights da noite anterior eram verdadeiros. Encontrou-se em um estado denominado de Unicidade. À medida que documentava suas impressões, a Unidade inata que permeia todas as dualidades que conhecemos neste mundo foi tornando-se cada vez mais clara.

Leslie Temple-Thurston - autora

Leslie Temple-Thurston – autora

Após três semanas, enquanto ainda lutava com esses conceitos, ela descobriu que estava grávida de sua primeira filha e passou a se preocupar com questões mais imediatas. Após sua mudança para Los Angeles, Leslie começou a focar em sua jornada espiritual interna. Lendo os pioneiros da nova psicologia espiritual e trabalhando com dois líderes espirituais, Leslie Temple-Thurston conseguiu inserir sua experiência de Unidade no contexto das antigas tradições de yoga e nas modernas tradições espirituais.

Em Los Angeles, uma das cidades mais complexas e polarizadas do mundo moderno, que Leslie iniciou, segundo a tradição dos yogues indianos e tibetanos, sua “experiência de caverna”. Ela buscava manter a experiência de Unidade como um estado permanente. 

Depois de dois anos de total reclusão e profunda meditação, Leslie experimentou a completa dissolução de sua velha identidade e um profundo despertar espiritual. Em 1988, Leslie Temple-Thurston realizou seu primeiro seminário sobre o conjunto de princípios e técnicas de “processamento” usados durante e anteriormente à sua “experiência de caverna”.

As raízes desses princípios encontram-se em ensinamentos antigos de reconciliação e unificação de opostos, como no símbolo Yang-Ying do taoísmo chinês, na união de Shiva e Shakti do yoga tântrico, no princípio budista do equilíbrio, e até mesmo no Evangelho.

O Casamento do Espírito - capa livroNo entanto, as técnicas de “O Casamento do Espírito”, filtradas através do pensamento psicológico moderno e das experiências de vida da própria autora, renascem em uma forma original, simples e eficaz, destinadas especialmente para os buscadores contemporâneos da espiritualidade. O objetivo é recriar equilíbrio e harmonia na vida diária.

Leslie Temple-Thurston é uma mística contemporânea, que apresenta neste livro, importantes técnicas que nos ajudam a acelerar o caminho do despertar espiritual e a viver a verdadeira expressão de nossa natureza divina. Em um mundo marcado pela polarização, essa obra concede a esperança de um terceiro caminho, o da Unidade na diversidade.