2ª parte Chakras – Testa e Ajna

Chakras - capa segunda parteEntendendo melhor sobre cada um deles

Assim como há a anatomia do corpo físico, podemos perceber também uma anatomia espiritual (ou sutil) no Ser Humano. Nela estão inúmeros chakras e centros energéticos. Dando continuidade ao artigo Chakras – entendendo sua importância, começamos uma série de artigos onde ressaltaremos os 12 principais Chakras de nosso corpo, mostrando as características de cada um deles.

12 prinicpais Chakras

Abaixo trazemos mais dois destes vórtices que funcionam como usinas geradoras de energia do corpo:

3-  Testa

Localizado no centro da testa, é responsável pelas faculdades da memória, das visões intuitivas e da grande percepção. É um centro energético oculto que a maioria das pessoas desconhece. A agitação emocional e a capacidade de sentir prazer, incluindo o orgasmo, também são parcialmente reguladas por esse chakra, que controla o centro do prazer e da dor, além do sistema límbico.

O chakra da Testa regula e controla a glândula Pineal, o sistema nervoso e as funções do cérebro frontal.

Responsável também pela visão interna, visão espiritual, percepção, maior clarividência, sensibilidade emocional a prazer e dor, memória e imaginação.

4-  Ajna

Situado entre as sobrancelhas, controla e energiza a glândula pituitária e todo o nosso corpo. É chamado de “chakra mestre”, justamente porque controla todos os chakras principais, além do sistema endócrino, portanto sua ativação consegue afetar todos os órgãos vitais.

Funciona como o centro da mente abstrata (ou superior) e é também o centro da vontade ou função diretora.

Com o estímulo e ativação desse centro, pode-se obter força de vontade e inteligência mental abstrata.

É responsável também pelo pensamento abstrato, baseado em princípios e atitudes mentais filosóficas. Controla nossa capacidade de entendimento mental e de termos criatividade através de ideias mais elevadas. Fortalece nossa resistência e força de vontade, pela capacidade de focalizar um ponto, pela virtude da disciplina e da consciência.

Veja também:

Namastê.

😉

Anúncios

Intestino – o “Segundo Cérebro”

Intestino - o segundo cerebro - capaO intestino delgado é hoje reconhecido como um ‘órgão inteligente’ ou ‘segundo cérebro’, por ser o único órgão do corpo humano capaz de executar funções independentemente do sistema nervoso central (SNC).

Esta autonomia se comprova pela sua habilidade em produzir arcos reflexos – intertransmissão de estímulos entre os neurônios sensitivos, associativos e motores – que tanto lhes permite captar as informações, como processá-las e responder de acordo com a necessidade do momento. Em outras palavras, os intestinos também pensam, decidem e executam tarefas tal qual um cérebro.

No Brasil, o Laboratório de Pesquisas em Neurônios Entéricos da Universidade Estadual de Maringá/PR, vem se destacando como centro de pesquisa no assunto. De acordo com o seu coordenador, Dr. Marcílio Hubner de Miranda Neto, os neurônios, tanto do cérebro como dos intestinos, guardam semelhanças e são basicamente de três tipos:

  • Natureza Associativa:conduzem as informações a serem processadas.
  • Natureza Motora: respondem aos estímulos.
  • Natureza Sensorialcaptam os estímulos do meio ambiente e os transmitem aos centros nervosos.

Sob a batuta dos neurônios entéricos, os alimentos devem percorrer o sistema digestivo a uma velocidade metabólica ideal, para que a massa alimentar e o bolo fecal não fiquem retidos (em qualquer parte do seu trajeto) mais do que o tempo necessário.

Qualquer alteração física ou mental se reflete na aceleração ou desaceleração dos movimentos peristálticos – diarréia ou prisão de ventre –, cuja cronicidade gera consequências desastrosas. E vive-versa.

Intestino - o segundo cerebro - neurôniosSerotonina e Melatonina

Alegria de viver e serotonina são absolutamente interdependentes. Uma não existe sem a outra. Tanto é assim que os tratamentos clássicos da depressão envolvem esse neurotransmissor, interferindo no seu ciclo natural dentro do cérebro. A grande questão é que esses medicamentos não atuam no cerne do problema, que é a falta de produção da serotonina. O que acontece é que 90% da serotonina é produzida pelos intestinos, afirma o Dr. Helion Póvoa no seu livro O Cérebro Desconhecido (editora Objetiva):

“Quando analisamos o fato de que o intestino é fundamental na formação da serotonina, nada mais é preciso acrescentar. A alegria e a inteligência emocional, de que tanto precisamos para viver bem, começam realmente a partir do intestino! Por isso só nos resta garantir a esse fantástico órgão matérias-primas de primeira qualidade, o que conseguimos com uma alimentação saudável. Ele, inteligentemente, se encarregará de garantir nossa saúde e felicidade”.

E mais, a serotonina é a precursora da melatonina, hormônio produzido pela glândula pineal, o centro superior de processamento de informação eletromagnética, bastante conhecido como auxiliar do bom sono. A melatonina é também o antioxidante mais poderoso produzido pelo organismo.

A serotonina e a melatonina têm uma relação de alternância. A primeira predomina quando o cérebro se encontra em estado de alerta e a segunda nos períodos de sono. O que não se sabia até recentemente é que ambas são secretadas pelas glândulas dos intestinos, e não apenas pela pineal. Esta dupla dinâmica aumenta a qualidade do sono, a sensação de bem-estar, o otimismo, o bom humor, a capacidade de atenção e de raciocínio. Os pensamentos ficam mais leves e a vida mais prazerosa.

Intestino - o segundo cerebro - livroAs primeiras evidências desse fato vieram das pesquisas do Dr. Michael D. Gershon, autor do livro O Segundo Cérebro (editora Campus) que revelaram dois fenômenos importantíssimos:

  • As paredes dos intestinos, estimuladas pela fricção das fibras alimentares, secretam a serotonina.
  • A serotonina secretada pelos intestinos é o fator de controle do peristaltismo que, em cadências regulares, movimenta o bolo alimentar e as fezes ao longo do trato gastrintestinal.

As paredes do trato gastrintestinal são recobertas por uma rede de neurônios diretamente responsáveis pela coordenação de todas as funções digestivas que, embora estejam conectados ao sistema nervoso central, têm total autonomia sobre todas as etapas do processo digestivo.

Por isso, a higiene alimentar e a higienização dos intestinos também são essenciais à prevenção e à reversão dos quadros de distúrbios emocionais e problemas mentais.

A alimentação moderna, com tanto refinados, aditivados e agrotóxicos, pode estar fazendo com que os intestinos padeçam, dificultando todas as nossas inteligências.

Conceição Trucom é química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para alimentação natural, bem-estar e qualidade de vida.

😉

Fonte: site Doce Limão

Lazer no antigo “Clube de Regatas Tietê”

Centro esportivo e cultural Tiete - pista corridaEm outubro de 2014 a prefeitura de São Paulo entregou a cidade o Centro Esportivo e de Lazer Tietê, localizado no espaço que abrigava o antigo Clube de Regatas Tietê, na zona norte. O local foi adaptado para servir ao uso de práticas esportivas e de atrações culturais da capital.

O local que fica na avenida Tiradentes, ao lado da Marginal Tietê é próximo da estação Armênia do Metrô (linha azul), é de fácil acesso e mostra-se como uma opção para passeios ao ar livre e ainda movimentar o corpo em exercícios físicos.

Centro esportivo e cultural Tiete - Visão aéreaO espaço já participou da Virada Esportiva do ano passado e está sob a gestão da Secretaria de Esportes e Lazer da Prefeitura de São Paulo. Com uma área total de 50 mil metros quadrados, esse novo centro oferece:

  • 05 ginásios
  • 04 quadras de tênis
  • 04 quadras de basquete 3×3
  • 04 quadras poliesportivas
  • 01 salão de jogos
  • 01 pista de caminhada
  • 01 playground para as crianças
  • 01 brinquedoteca
  • 01 sala de leitura

Centro esportivo e cultural Tiete - quadrasHaverá ainda, uma pista de skate, com uma área de três mil metros quadrados. O projeto passa por finalização de contratação e tem previsão de entrega no final deste ano.

#OcupeOsEspacosPublicos

😉

 História

Fundado em 1907, o Clube de Regatas Tietê funcionou até o fim de 2012, quando a concessão da área de sua sede, publicada em 1949, não foi renovada pela Prefeitura e o prazo liminar de três anos para que ele funcionasse no local foi encerrado.

No clube, que acumulava dívidas de quase R$ 35 milhões e teve seu quadro de associados reduzido de 30 mil para pouco mais de um mil, passaram atletas como a nadadora Maria Lenk e a tenista Maria Esther Bueno.

Fonte: CidadeAberta.org.br

Cuidados ao usar fones de ouvido

Cuidados no uso de fones de ouvido - capaOs perigos para danos a audição só crescem junto com a crescente venda de smartphones e de tocadores de música (MP3). Cerca de 360 milhões de pessoas ao redor do mundo apresentam sintomas de uma audição prejudicada. Esse problema torna-se mais frequente em países desenvolvidos e também nos em desenvolvimento, pois essas economias facilitam o acesso aos aparelhos.

Recente estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que 1,1 bilhão de pessoas entre 12 e 35 anos usam aparelhos sonoros em “volumes inseguros”, criando um risco permanente de perder a audição

Ensaios clínicos realizados em 2014, pelo Instituto Nacional de Surdez e Outros Distúrbios de Comunicação (NIDCD), nos Estados Unidos, não devemos ficar expostos a qualquer ruído que esteja acima de 85 decibéis por mais de oito horas. Um MP3 player, por exemplo, em seu volume mais alto, pode chegar a 105 decibéis.

Faça exames de audiometria regularmente

Faça exames de audiometria regularmente

Adolescentes e o som alto

Pesquisa feita em 2014 entre estudantes de dois colégios particulares da cidade de São Paulo mostrou que quase 80% dos jovens (entre 14 e 18 anos) ouvem música em volume superior ao limite considerado seguro.

Realizado pela Proteste e Sociedade Brasileira de Otologia (SBO), o levantamento mediu o volume do som escutado por 68 estudantes dos Colégios Marista Arquidiocesano e Dante Alighieri e verificou que 79,4% dos alunos ouviam música em volume superior a 85 decibéis, limite para evitar lesões auditivas.

O volume médio aferido pelos pesquisadores foi de 92 decibéis, que pode ser comparado, por exemplo, a uma batedeira. O volume máximo encontrado no caso de um dos estudantes foi de 109 decibéis, índice superior ao ruído feito por uma furadeira.

“A perda auditiva, em menor ou maior grau, acontece a partir dos 50 anos, com o envelhecimento. O que vai acontecer com esses jovens é que poderão ter perdas mais severas ou precoces” – disse Paulo Roberto Lazarini, médico otorrinolaringologista e presidente da SBO.

Segundo o estudo, 64% dos estudantes pesquisados ouvem música no fone de ouvido por um período superior a duas horas diárias. “No intervalo de 90 a 100 decibéis, índice médio que foi medido entre os estudantes, o tempo máximo de exposição não deve ultrapassar a duas horas”, disse Lazarini.

Evite exposição excessiva

Evite exposição excessiva

Veja algumas dicas para evitar prejuízos à audição:

Headphones e fones de ouvido – os fones que serão usados nos smartphones devem caber corretamente e de modo confortável ao ouvido. É importante testar alguns modelos antes de começar a usar. Uma boa opção de fones de ouvido são os earbuds (com ponta). Quando o assunto é headphone, o ideal é que seja um modelo que cubra o ouvido e bloqueie completamente o som.

Descanso aos ouvidos – A OMS indica que as pessoas não devem ficar expostas a 80 decibéis por mais de 60 minutos. Esse volume é equivalente ao som de um trânsito . O ideal é que a pessoa escute apenas uma hora por dia de música.

Abaixe o som do smartphone – Desde 2013, os smartphones da Europa colocaram um limite sobre o alto volume, quando arrisca passar de 85 decibéis. Já os smartphones dos Estados Unidos e Brasil possuem apenas com alerta sobre quando a pessoa excede os volumes.

Use protetores de ouvido – Mesmo quando a pessoa não está ouvindo música, ela está exposta ao som. O ideal é usar protetores de ouvido para evitar uma longa exposição a poluição sonora. Mas lembre-se, nunca coloque o protetor profundamente no ouvido, isso pode causar problemas de saúde.

Faça testes de audição – Sentiu zunidos ou perdas de audição repentinas (mesmo  por curtos períodos), faça exames periódicos. Para adultos, o ideal é fazê-lo a cada 5 ou 10 anos.

Fique no silêncio – Todos os ruídos ao redor do mundo acabam prejudicando não apenas nossa audição, mas também o coração. A University of British Columbia descobriu que aqueles que trabalham em ambientes ruidosos sofreram duas a três vezes os problemas cardíacos. Da mesma forma, é ruim para o cérebro. Estudos mostram que o ruído impede o aprendizado, memória e concentrações. Aposte em fones e protetores de ouvidos

 

Fontes: Sites Terra e Game Vício

O valor da Yoga para mulheres

O valor da yoga para mulheres - CapaConhecida como a ciência da sabedoria universal, a Yoga traz sempre bem estar físico, mental, espiritual e muitos outros benefícios.  Algo que encaixa perfeitamente em qualquer fase da vida da mulher que a pratica regularmente.

A criança fica mais tranquila, a adolescente aprende a lidar com o turbilhão de emoções provocadas pelas alterações hormonais dessa fase de transição. Na fase adulta a mulher conta com os benefícios da Yoga para enfrentar situações de estresse, equilíbrio na gravidez, e nos conturbados momentos da menopausa conquistando boa saúde em todos os aspectos. A diminuição dos sintomas podem ser percebidos logo nos primeiros trinta dias de prática.

Os benefícios da Yoga para a mulher

Problemas de saúde como diabetes, dores nas costas e coluna, problemas cardiovasculares, hipertensão, ansiedade, depressão, dores musculares, mau funcionamento intestinal, são controlados.

Alguns deles até desaparecem definitivamente depois de algum tempo de prática da Yoga. Assim, a mulher ganha mais autoconfiança, paz interior, bom humor, disposição para enfrentar qualquer desafio.

  • Alivia a dor na lombar, comum nas mulheres antes da menstruação, durante a gravidez e próximo à menopausa.
  • Regula e alivia a ansiedade e depressão, comuns “naquele período”.
  • Fortalece os músculos abdominais, reduzindo problemas regulares nas mulheres relacionados ao “baixo ventre”.
  • Melhora o humor no cotidiano, pois ameniza os sintomas da TPM.

O valor da yoga para mulheres - TPMDurante a TPM

A prática regular de Yoga atenua os sintomas da TPM ao submeter as respostas do sistema nervoso, que passam por uma verdadeira tempestade durante essa época do mês, a auto-análise. Quem está acostumado a observar o próprio corpo durante a prática de Yoga não sentirá dificuldade em guardar distância frente às mudanças decorrentes das alterações hormonais neste período e terá melhores condições de administrá-las durante os momentos de crise. Esse entendimento vale tanto para ela quanto para quem convive com ela – clique aqui e veja artigo sobre o assunto.

O valor da yoga para mulheres - GravidezNa Gestação

A yoga durante a gestação enfatize a criação de um ambiente psicoemocional sereno para a mulher grávida e seu bebê. Diminui o estresse e ensina a relaxar e respirar durante situações difíceis ou desafiadoras.

Ajuda também no desenvolvimento de uma consciência corporal, força, flexibilidade, resistência e capacidade respiratória. Tudo que a gestante precisará durante o parto e que pode prevenir condições para que elas não venham a ser crônicas no pós-parto.

Yoga para todos, mas com ajustes

Yoga é para todos. Ninguém está excluído. Homens, mulheres, crianças, idosos ou pessoas doentes ou deficientes, não importa, o caminho do yoga é aberto a todos. No entanto, deve ser praticado de acordo com a capacidade física, mental e espiritual de cada um.

Yoga é uma, mas mulheres e homens diferem uns dos outros. Isso não significa que a ioga é diferente para um determinado tipo de corpo, mas a capacidade é diferente para cada pessoa. É apenas uma questão de como se adaptar a prática para que ela traga um equilíbrio adequado. Então, devemos entender o fato da necessidade da adoção de ajustes na prática para homens, mulheres, crianças, idosos, etc.

 O valor da yoga para mulheres - para todosNamastê.

🙂

 

Fontes: The Art of Living – Diário Feminino – Yoga para Gestantes – Yvengar Yoga

Para que serve o ócio criativo

Ocio Criativo - capaComo você se sente em seu trabalho? Em sua casa? Com suas atividades? Com você mesmo? Se a resposta não lhe agrada, quais são as possibilidades de modificar isso?

É corrente a ideia que defende o ócio como fundamental à filosofa: “pensar requer ócio”; qual seria o conceito de ócio presente nessa ideia? Desde os primórdios da formação das sociedades complexas, trabalho braçal e trabalho intelectual são divididos, sendo predominante a atribuição do trabalho pesado às classes menos privilegiadas, consideradas, em algumas sociedades, como inferiores. Aos privilegiados, o trabalho intelectual, o ocupar-se com as artes, as ciências, o governo, o lazer.

Na Grécia Antiga, a sociedade era dividida entre cidadãos, não-cidadãos e escravos. Os não-cidadãos e escravos eram considerados inferiores, cabendo-lhes tarefas braçais, tidas como indignas para os cidadãos. Com herança na tradição grega, os romanos denominaram ócio (otium) as ocupações com o trabalho intelectual, em oposição ao negócio (nec-otium, negação do otium), destinado a atender às necessidades de subsistência da sociedade. A dedicação ao ócio era, nessas sociedades, a atividade própria do ser humano, embora poucos tivessem acesso a ela.

Ócio: 1. Descanso do trabalho, folga, repouso; 2. Tempo que se passa desocupado; vagar, quietação, lazer, ociosidade; 3. Falta de trabalho; desocupação, inação, ociosidade; 4. Preguiça, indolência, moleza, mandriice, ociosidade; 5. Trabalho mental ou ocupação suave, agradável” (Verbete do Dicionário Aurélio).

Ocio criativo - tendo ideias Relógio moral

A sociedade capitalista passa a exigir a ampliação dos negócios, nascendo uma classe burguesa mais habituada a trabalhar. O trabalhador vende sua força de trabalho, e institui-se a moral do trabalho produtivo. Isso gera no ser humano uma espécie de “relógio moral”, que mostra ser preciso dedicar-se a um trabalho, que se transforme em mercadoria e traga lucros. O trabalho intelectual, anteriormente valorizado, passa a ser indigno; o ócio, antes necessário, passa a ser motivo de exclusão social.

Atualmente, o trabalho intelectual também é medido por produção: números, quantidade de artigos publicados, quantidade de obras de arte compostas, quantidade de pesquisas desenvolvidas. Ainda há instituições que contratam por horas de trabalho, exigindo e controlando a presença e a atividade de seus “colaboradores”.

Seu dia parece que só terminara quando você conseguir preencher todos os relatórios e planilhas. Quando atender vinte pacientes, quando visitar trinta clientes ou conseguir fechar dez contratos.

Fica a duvida se ainda conseguimos significar ócio como parte das atividades humanas ou o ócio tornou-se, em oposição a todo e qualquer forma de trabalho.

Relógio interno

Internamente algo parece nos cobrar o tempo todo: o que fiz hoje? É preciso uma grande lista para não ser classificado como inútil, preguiçoso, indolente. O que você vai fazer no final de semana? Dormir. Ou então meu final de semana será repleto de tantas e tantas atividades de lazer que iniciarei a semana com alto grau de estresse.

Muitos aposentados passaram a vida trabalhando e sonhando com a aposentadoria. Logo após os primeiros dias de aposentadoria, entraram em depressão, adoeceram. A sensação de inutilidade, de peso social toma conta de algumas dessas pessoas. Outros, apesar de se sentirem bem com o fato de não necessitarem mais trabalhar diariamente, sentiam-se envergonhados por sua “ociosidade”, ainda que estivessem repletos de atividades de lazer. Outros trouxeram como causa de seu sofrimento o fato de serem “obrigados” pela idade a uma aposentadoria compulsória, apesar de amarem seu trabalho e não saberem viver sem ele.

Ha ainda, alguns empresários bem-sucedidos não se sentem bem, porque não “vivem”, não se dedicam às atividades que lhes trazem prazer. Quantos não foram os casos de depressão nas férias; talvez fosse melhor continuar trabalhando…

Ócio e existência

Atualmente a distinção entre ócio e negócio é extremamente difícil, pois muito do que anteriormente era considerado ócio, tornou-se negócio. Qual o significado poderíamos atribuir ao ócio na atualidade?

Em seu texto Política, Aristóteles afirma que a escravidão somente deixaria de existir quando as ferramentas trabalhassem por si mesmas. O desenvolvimento tecnológico busca a construção de máquinas que trabalhem por si mesmas, para que não precisemos nos dedicar ao trabalho braçal.Contudo, apesar de substituirmos muito do trabalho braçal por atividades executadas por máquinas, não nos preparamos para modificar nossa forma de pensar e de viver.

Por que nos submeter a um trabalho torturante? Por que trabalho, conhecimento e diversão não podem constituir uma única e mesma atividade? Não é preciso trabalhar oito horas, dormir oito horas e ter oito horas de ócio. É preciso incluir, no cotidiano, atividades que reúnam o descanso, o lazer, o trabalho e a aprendizagem.

Ocio criativo - como se forma.001

“Aquele que é mestre na arte de viver faz pouca distinção entre o seu trabalho e o seu tempo livre, entre a sua mente e o seu corpo, entre a sua educação e a sua recreação, entre o seu amor e a sua religião. Distingue uma coisa da outra com dificuldade. Almeja, simplesmente, a excelência em qualquer coisa que faça, deixando aos demais a tarefa de decidir se está trabalhando ou se divertindo. Ele acredita que está sempre fazendo as duas coisas ao mesmo tempo”

Domenico de Masi, O Ócio Criativo

*Fonte – site Vya Estelar

Evitando enjoos em viagem de avião

Evitando enjoos durante voo - mal estarPara muitos, o enjoo no ar é um problema sério que lhes afeta a cada vez que sobem em um avião. Aqui apresentamos algumas formas que podemos evitar o enjoo de voo, ou seus efeitos.

O enjoo ao voar acontece quando o seu cérebro recebe mensagens misturadas. Já que você parece se mover e balançar em alguns momentos, enquanto que em outras, aparenta estar imóvel.

Antes de embarcar, prepare-se:

Evitando enjoos durante voo - alimentação leve antes de embarcarFaça uma refeição equilibrada antes de entrar no avião – evite comer muito logo antes do voo, assim como não fique de estomago vazio. As duas situações aumentam as chances de ter enjoos.

Tente evitar pensar em ficar enjoado – se acontecer, você pode se convencer que está mal e acelerar.

Tome medicamentos para enjoo antes de embarcar e aterrissar – esses são momentos mais turbulentos do voo. Remédios que evitam enjoos impedem que as mensagens confusas sejam enviadas ao cérebro. Lembre-se que alguns medicamentos requerem prescrição, embora outros estejam disponíveis livremente. Consulte um médico para mais informações.

Braceletes de acupressão – pulseiras que promovem uma leve pressão na altura dos pulsos, que prometem aliviar sessão de enjoo. São vendidos em farmácias, embora as evidências sobre a real eficácia não sejam inteiramente conclusivas.

Permaneça em seu assento pelo maior tempo possível manter-se sentado significa que os súbitos movimentos do avião lhe influenciarão menos. Como resultado, mensagens menos confusas serão enviadas ao cérebro pelo fato de o corpo notar menos movimento.

Evite ler no avião, se isso lhe causa vertigens – muitas pessoas sentem que ler lhes deixam atordoadas. Como resultado, você pode evitar a leitura enquanto voa. Mas, para pessoas que não possuam esse problema, ler realmente acaba com o tédio.

Tente sentar próximo às asas do avião – próximo às asas, o avião é mais estável, por isso há menos vibração sendo enviada para o cérebro. Se houver tremores, o cérebro pode receber sinais confusos pelo fato de a sua visão não mostrar movimento, mas o seu corpo recebe a informação de que está em movimento.

Masque chicletes de menta – isso tirará a sua mente do problema e lhe fará concentrar no sabor e na mastigação. O método de mascar chicletes também funciona em carros e ônibus.

Evitando enjoos durante voo - malsque chiclete