“Holi – Festival das Cores” quer colorir o Parque Ibirapuera

Holi - Festival das cores no Ibirapuera - capaNo próximo dia 25/10 (sábado) acontece a segunda edição do Holi – Festival das Cores. O local escolhido será o Parque do Ibirapuera aqui em São Paulo. O evento nos mostra a comemoração indiana pela chegada da primavera, além de promover a paz entre as pessoas.

Começando às 10:00h, o público se reúne para uma aula de Yoga e meditação coletiva. Na sequencia atrações musicais preenchem o cardápio do dia, passando por mantras, reggae e música eletrônica. Em 2013 o evento reuniu mais de 20 mil pessoas.

Holi - festival das cores - uniaoMas o festival é muito conhecido pelo colorido dos pós especiais e biodegradáveis, que são lançados ao ar pelos participantes. Como não oferecem risco à saúde ou ao ambiente, podemos participar dessa “batalha colorida”. A participação no evento é aberta ao público, mas os kits com o porta cores e os pós coloridos vão de R$ 30 a R$ 140 e podem ser adquiridos no site ou na página do evento no Facebook.

As cores representam os sete chakras, considerados pelo hinduísmo os vórtices de energia do corpo. No evento serão usados o verde (união), roxo (saúde), amarelo (alegria), rosa (renovação), azul (paz), vermelho (amor) e laranja (positividade).

Como o Ibirapuera possui um grande fluxo dos mais variados públicos, esperamos que os momentos das explosões de cores do Holi, façam com que as pessoas se vejam como iguais e reflitam a importância de se compartilhar os sete chakras. Cada um de nós é um agente transformador da cidade, afirma Bruno Lambiasi, sócio-diretor da Verdi Produções, organizadora do evento.

Holi - festival da cores - Yoga

Programação:

10h – Abertura + Yoga + Meditação Coletiva
11h – Dança Indiana “Bharatanatyam”
11h15 – Música Indiana “Bhajans”
12h15 – TK and Nam Rock
13h30 – Xaxado Novo
14h30 – Bloco Kaya na Gandaia
15h15 – DJ Piero Chiaretti
16h30 – Jam Session Verdi

Data: 25 de outubro
Local: Parque Ibirapuera
Entrada: gratuito
Fonte: Hypeness

 

Vídeo mostra raio X do corpo durante as posturas de Yoga

Como fica o esqueleto durante a Yoga - capa

Com o nome “Raio X do corpo em movimento – Yoga” (tradução livre), vídeo em 3D recria a situação do esqueleto humano durante as principais posturas da Yoga.

As imagens surpreendem por mostrar claramente a habilidade (e eficiência) do corpo enquanto se ajusta durante os movimentos.

Ficou curioso? Então veja o vídeo abaixo:

 

 

Como escolher incenso?

Como escolher incensoNossos ancestrais acendiam suas fogueiras e percebiam que a fumaça seguia para o céu, a morada dos deuses. Com a ideia de agradar e de se comunicar com essas divindades, começaram a queimar ervas aromáticas em cerimônias e rituais, surgindo assim a primeira manifestação dos incensos.

O uso de incensos sempre foi comum em várias civilizações e em épocas diferentes da história da humanidade. Em geral, eram usados por sacerdotes e magos, em rituais religiosos ou mágicos.

Hoje, o uso de incensos se proliferou de tal maneira que qualquer pessoa compra e usa incensos com a maior naturalidade e facilidade.

Incensos de boa qualidade trazem conforto sem irritar as vias respiratórias. Aprenda a escolher:

  • Composição – muitos incensos disponíveis no mercado têm componentes que fazem mal à saúde, como chumbo, breu, goma arábica, formol e benzeno. Prefira aqueles feitos apenas com ervas, plantas e especiarias.
  • Fumaça  deve ser branca. Isso indica a presença de elementos naturais e atóxicos.
  • Essencial ter pó de sândalo, pois é ele que propicia a sensação de bem-estar, já que possui propriedades calmantes.
  • Teste  incensos de baixa qualidade têm muito carvão, outro irritante respiratório. Esfregue a vareta na mão, se ela ficar preta, contém o material.

 

Como escolher incenso - aromas e suas funçõesPara que usar um incenso?

Aromatizar e perfumar uma sala antes e/ou durante um encontro, festa ou meditação.
Eliminar odores pois é um dos melhores e mais naturais desodorizantes.
Relaxar ou energizar, dependendo do aroma a ser utilizado (ver tabela abaixo).
Limpar energeticamente, evitando a impregnação energética. Lembre-se que o subtil fumo penetra em frequências e ambientes, impossíveis por outras formas.
Cuide do incenso como se cuida de uma vela. Lembre-se que tem fogo, e que esse fogo queima! O melhor meio é utilizar um porta-incenso onde estará seguro e evitará sujar a superfície.

Veja uma lista que indica o uso para cada fragrância:

ACÁCIA – Tranquilidade
ABSINTO – Estimulante geral para cansaço mental e físico
ALECRIM – Boa sorte
ALFAZEMA – Serenidade
ALMÍSCAR – Amor
ÂMBAR – Coragem
Amor-perfeito – Purifica ambientes, ajuda nos estudos, amor, elevação das vibrações
ANGÉLICA – Espiritualidade
ANIS – Para despertar o amor interno, para despertar forças.
ARRUDA – Limpeza psíquica e física
BÁLSAMO – Relaxamento
BÁLSAMO ROSA – Acalma, purifica ambientes, ajuda nos estudos, amor.
BENJOIM – Protecção física e psíquica
CAMOMILA – Calmante e bons sonhos
CANELA – Prosperidade
CEDRO – Relaxamento
COCO – Estimula o bem-estar.
CRAVO – Limpeza astral
CÂNFORA – Purificação
DAMA DA NOITE – Romance
ERVA DOCE – Atracção
EUCALIPTO – Renovação
FLOR DE PITANGA – Incentiva a criatividade
FLOR INDIANA – Purifica as vias respiratórias.
FLORAL – Afasta sentimentos negativos
FLOR DE LARANJEIRA – Boa sorte no amor
FLOR DE LÓTUS – Auto-conhecimento
FLOR DO CAMPO – Harmonia com os seres da natureza
GERÂNIO – Vitalidade
HELIOTRÓPICO – Amor.
HORTELÃ – Prosperidade
INCENSO DOS ANJOS – Ajuda – protecção – agradecimento
INCENSO DOS ARCANJOS – Ajuda – protecção – agradecimento
JASMIM – União – inspiração
LÍRIO DO VALE – Intuição – pureza
MAÇÃ – Boa sorte
MADEIRA DO ORIENTE – Sucesso
MEL – Boa sorte e prosperidade
MIRRA – Purificação e protecção
MORANGO – Boa sorte
MUSK – Sensualidade
Noz-moscada – Diminui a ansiedade.
ÓPIUM – Criatividade
ÓPIUM ROSA – Sensualidade.
ORQUÍDEA – Harmonia e amor
PATCHOULI – Amor
PÊSSEGO – Boa sorte
ROMANUS – Para despertar forças.
ROSA BRANCA – Harmonia
ROSA MÍSTICA – Fé e paz de espírito
ROSA MUSGOSA – Meditação
ROSA VERMELHA – Amor
SÂNDALO BRANCO – Espiritualidade
SÂNDALO VERMELHO – Protecção
VERBENA – Criatividade e inspiração
VETIVER – Sucesso
VIOLETA – Paz
YLANG YLANG – Afrodisíaco

 

Fonte: Revista Bons Fluídos / Casa Santa

Morfina para o corpo

Morfina - dor no corpo“A alegria é um sonho, a dor é real”
Arthur Schopenhauer.

Aprender passa pelo corpo. Mesmo os conceitos mais abstratos ou as deduções mais hipotéticas edificam-se a partir de pequenas peças de estímulos sensoriais e motores que nascem da interação do corpo no espaço.

Desta maneira, a inteligência não pode ser amputada da estrutura anatômica e morfológica que nos constitui, uma vez que é esta mesma estrutura a responsável pela maneira que percebemos o que percebemos.

Com especulações imaginárias e suposições generalistas criadas pela inteligência, o corpo desgasta-se, perde agilidade, sente as intempéries do meio. O corpo sofre e a inteligência perde a lealdade de seu fiel interlocutor. 

Não se trata de envelhecimento. Tão pouco são fatores genéticos ou ambientais os responsáveis pela degradação do corpo e do comprometimento cognitivo. É o sofrimento e mais precisamente, a fuga da dor que, antes de qualquer coisa, molda o corpo e interfere na maneira como percebemos a realidade.

"Estamos dispostos a tudo para fugir da dor"

“Estamos dispostos a tudo para fugir da dor”

Ao menor sinal de desconforto, deformamos, trapaceamos, sobrecarregamos estruturas em detrimento de outras, produzimos compensações e desequilíbrios. Estamos dispostos a tudo para fugir da dor e, frequentemente, pagamos um preço alto pelo nosso conforto.

Entendemos equivocadamente a dor como algo a ser extirpado a qualquer custo e não medimos esforços para atingir este objetivo. A dor é o mais soberbo e presunçoso indício de que estamos errados e isso nos irrita. Não estamos, afinal, habituados a aceitar os próprios erros com condescendência.

A dor deve ser ouvida antes de contestada.  Suas árduas palavras buscam desobstruir vias da percepção e devolver a fluência ao movimento, restituindo à inteligência à fidelidade do corpo.

A dor surge para por fim à dor. O corpo entrevado não interage, não assimila, não aprende. O ser vivo requer liberdade de movimento para existir como tal.

 

 

Fontes: Estudio de Yoga & Pilates