Virada Sustentável em São Paulo acontece de 28 à 31/8

 

Virada Sustentavel 2014 - 28 a 31 de agosto - capaA Virada Sustentável é um movimento de mobilização colaborativa para a sustentabilidade do Brasil. Pretende educar diferentes “atores sociais”, através de uma abordagem lúdica e positiva, inspirando as pessoas a enxergarem no tema um valor universal.

Conta com participação direta de organizações da sociedade civil, órgãos públicos, coletivos de cultura, movimentos sociais, equipamentos culturais, empresas, escolas e universidades, entre outros. Tem como objetivo central, apresentar uma visão positiva e inspiradora sobre a sustentabilidade e seus diferentes temas para a população.

Nascido como agito cultural, chega à quarta edição em São Paulo. Reúne centenas de atrações, atividades e conteúdos ligados aos temas da sustentabilidade (biodiversidade, resíduos, água, cidadania, mobilidade urbana, mudanças climáticas, economia verde etc.). Tudo acontece simultaneamente em parques e espaços públicos, equipamentos culturais, universidades e escolas, todas gratuitas e abertas ao público.

A programação inclui: oficinas de reciclagem, comunicação e aproveitamento integral de alimentos. Ainda, oficinas sobre agricultura urbana e criação de brinquedos, rodas de conversa sobre diversidade e inclusão social. Também haverá inúmeras atividades físicas como passeio de bicicleta, caminhadas, dança e aulas de Yoga.

Para ver toda a programação, acesse aqui o site do evento. Por serem muitas atividades ao mesmo tempo, você pode filtrar por região da cidade (central, norte, sul, leste e oeste). O cardápio é vasto, vale aproveitar.

Virada Sustentável - grafismo

Anúncios

Yoga e Escalada

Yoga e EscaladaGosto muito de comparar a escalada ao Yôga. Uma das características do Yôga Antigo é ter agregado uma filosofia naturalista, o que se assemelha muito com a proposta da escalada em conviver junto a natureza, se identificando com ela quando se está em uma montanha ou até mesmo em uma falésia ou em algum setor de boulder, etc.

Você já se observou  como seu corpo reage antes de começar uma via, um boulder ou uma escalada qualquer? Mesmo parado, apenas pensando e lendo os movimentos da via, seu corpo já começa a responder com uma respiração acelerada, músculos tensos, trêmulos e seu coração começa a bater cada vez mais rápido. As mãos começam a suar e logo você pega no magnésio para secá-las. Mas não adianta, você está envolvido por um grande medo, ansiedade e nervosismo. Mesmo antes de colocar as mãos na primeira agarra seu corpo já sofreu uma descarga de adrenalina.

Yoga - você reconhece a respiração

Yoga – você reconhece a respiração

Isso tudo ocorre por falta de controle emocional, e veja só que interessante, a emoção está ligada diretamente com a respiração.

Dentro da prática do Yôga Antigo, existe uma parte voltada somente para aprender a respirar corretamente, usando toda sua capacidade pulmonar.

A prática do Yôga Antigo, não se limita em apenas respirar, mais aplicar pránáyáma(expansão da bio-energia através do respiratório), técnica que lhe proporcionará umacaptação de energia vital, essa energia denomina-se prána, sua maior fonte é a energia solar que está contido em diversos alimentos como as frutas, por exemplo.

Muitos escaladores acreditam que quanto mais desenvolvem os músculos, menos flexíveis eles ficam e tem receio de se alongar para não perder sua força muscular. De fato, mais entenda que alongamento é outra coisa bem diferente que flexibilidade.

O SwáSthya Yôga ( pronuncia-se suásthya) possui uma divisão de técnicas que desenvolvem a musculatura de forma extremamente harmoniosa, conferindo domínio até de músculos considerados involuntários, o que contribui para uma melhor performance superior a qualquer esporte, dança ou luta. E ainda garante uma proverbial flexibilidade articular e muscular obtidas mediante eliminação de tensões localizadas, a conscientização de grupos musculares e as permanências maiores no ponto culminante de solicitação. (muitos escaladores ao longo do tempo acabam se lesionando nas articulações dos dedos, joelhos, ombros e costas).

Além de auxiliar com o fortalecimento e flexibilidade muscular o Yôga contribui para dominar o equilíbrio corporal. Normalmente, a um escalador que não usa nenhum recurso para compensar os músculos do seu corpo, em longo prazo perceberá um desvio na coluna, ombros tombados para frente, dores nos dedos, a tendência de ficar com a palma da mão sempre um pouco fechada, e por ai vai.

Yoga desenvolve a musculatura de forma extremamente harmoniosa, conferindo domínio até de músculos considerados involuntários

Yoga desenvolve a musculatura de forma extremamente harmoniosa, conferindo domínio até de músculos considerados involuntários

O aprendizado das posturas de Yoga pode ser utilizado para compensar muitos movimentos da escalada e até estimular regiões do corpo que ainda são fracos. (contudo, não se deve praticar Yôga só pensando em seus benefícios, isso o limitara).

Na escalada é preciso ter muita concentração, desde na colocação de proteção de uma via, na sua leitura, na movimentação e a cada milímetro de deslocamento na parede. A interação com a mente, corpo e a escalada é muito importante para realizar seu objetivo.

As vezes quando se está escalando o mundo parece parar, sua mente se esvazia de todos os pensamentos e você tem a atenção somente para a via que está realizando. Chega até parecer que nada mais existe e que você se transformou na própria pedra.

A meditação é a supressão das instabilidades da consciência, ou seja é a parada dos pensamentos. Quando se chega a este estado, a consciência se expande. Namastê. Yoga e escalada - parada Fonte: Claudia Faria – site Escalada Brasil

Quem foi Joseph Pilates?

Joseph-Pilates - closeNa sua infância, o alemão Joseph Pilates (1883-1967) tinha asma e era raquítico. Superando suas limitações, praticou na adolescência de mergulho a luta.

Mudou-se para a Inglaterra, onde trabalhou como instrutor de defesa pessoal da polícia. Durante a Primeira Guerra Mundial, foi levado a um campo de concentração em Lancaster (Inglaterra) com outros alemães, considerados inimigos.

Foi na prisão que começou a desenvolver um método de exercícios único, no chão, misturando sua experiência em atividade física com estudos em anatomia, usando os materiais que estavam à mão (até molas de colchões). Ocupa seu tempo livre dando aulas aos internos. Recebe muito crédito, posto que nenhum deles foi afetado pela epidemia de Influenza que matou milhares de ingleses.

Pilates - Joseph Pilates e alunoAinda recluso, atuou como enfermeiro junto aos doentes e feridos na guerra. Conseguiu deixar seus pacientes estáveis e apesar de seus ferimentos eles foram capazes de se movimentar por si mesmos, graças à firmeza de seus músculos.

Após a guerra, Joseph foi para Nova York, onde abriu um estúdio e escreveu livros.

Algumas fontes afirmam que gostava de beber, fumar e ir a baladas, e apesar disso viveu 84 anos e manteve uma forma física impecável.

Joseph Pilates aos 57 e aos 82 anos

Joseph Pilates aos 57 e aos 82 anos

No século 21, ter sucesso dependerá de foco

Foco

Foco – saber definir objetivos mais claros te leva mais longe e te deixa mais feliz

Vivemos uma época em que as possibilidades de distração parecem intermináveis – e-mails, mensagens, redes sociais, vídeos engraçados e imagens eróticas. Para o psicólogoDaniel Goleman, o segredo para o sucesso no século 21 está na habilidade de se manter atento.

“O nosso foco está continuamente lutando contra distrações, tanto internas quanto externas. A questão é: o que as nossas distrações estão nos custando?”, questiona Goleman no livro “Foco”. “A atenção funciona como um músculo: pouco utilizada, ela definha; bem utilizada, ela melhora e se expande”.

Daniel Goleman

Daniel Goleman

Segundo o autor, a quantidade de informação que recebemos diariamente, mensagens cada vez mais concisas, diminui gradativamente a nossa capacidade de atenção.

“A enxurrada de dados que nos atinge leva a atalhos desleixados, como selecionar e-mails pelo assunto, pular muitas das mensagens de voz, ler por alto mensagens e memorandos. Não é apenas que tenhamos desenvolvido hábitos de atenção que nos tornam menos eficientes, mas que o peso das mensagens nos deixa muito pouco tempo para simplesmente refletir a respeito do que elas realmente significam.

No livro, uma professora da oitava série conta que, durante anos, adotou o livro “Mitologia”, de Edith Hamilton. Porém, mais ou menos cinco anos atrás, os alunos começaram a perder o interesse pelo título. “Eles dizem que a leitura é difícil demais, que as frases são complicadas demais, que é preciso muito tempo para se ler uma página”, diz a educadora.

O problema não atinge apenas os mais jovens, também existe a diminuição da atenção entre os adultos. Um professor de cinema ouvido pelo autor relatou que se viu incapaz de ler mais de duas páginas por vez da biografia do diretor francês François Truffaut, um de seus cineastas favoritos.

Indicado duas vezes ao prêmio Pulitzer, Goleman escreveu sobre psicologia e ciências para o jornal “The New York Times” por 12 anos. Entre outros livros, ele também assina o best-seller “Inteligência Emocional”.

Fonte: Folha de São Paulo

Meditação

Meditação - a práticaTrata-se da busca de encontrar-se no meio de dois polos: a concentração e a contemplação. É comum ser associada a religiões orientais. Há dados históricos comprovando que ela é tão antiga quanto a humanidade.

Não sendo exatamente originária de um povo ou região, desenvolveu-se em várias culturas diferentes e recebeu vários nomes. Floresceu no Egito (o mais antigo relato), na Índia, entre o povo Maia etc.

Apesar da associação entre as questões tradicionalmente relacionadas à espiritualidade, a meditação pode também ser praticada como um instrumento para o desenvolvimento pessoal em um contexto não religioso.

A meditação costuma ser definida das seguintes maneiras:

  • Estado que é vivenciado quando a mente se torna vazia e sem pensamentos;
  • Prática de focar a mente em um único objeto (por exemplo: em uma estátua religiosa, na própria respiração, em um mantra);
  • Abertura mental para o divino, invocando a orientação de um poder mais alto;
  • Análise racional de ensinamentos religiosos (como a impermanência, para os Budistas)

 

A Prática

  • É possível se obter total descanso numa posiçãosentada e, por conseguinte, atingir maior profundidade na meditação e, assim, dissolver preocupações e problemas que bloqueiam a mente.
  • Uma posição possível é a posição de lótus completo: o pé esquerdo apoiado sobre a coxa direita e o pé direito apoiado sobre a coxa esquerda. Outros podem sentar em meio lótus: o pé esquerdo apoiado sobre a coxa direita ou o pé direito sobre a coxa esquerda. Há pessoas que não conseguem sentar em nenhuma dessas posições e, por isso, podem sentar à maneira japonesa, ou seja, com os joelhos dobrados e o tronco apoiado sobre ambas as pernas. Pondo alguma espécie de acolchoado sob os pés, a pessoa pode facilmente permanecer nessa posição por uma hora ou uma hora e meia.
  • Mantenha as costas eretas. Isso é muito importante. O pescoço e a cabeça devem ficar em alinhamento com a coluna. A postura deve ser reta mas não rígida. Mantenha os olhos semiabertos, focalizados a uns dois metros à sua frente. Mantenha leve sorriso. Agora comece a seguir sua respiração e a relaxar todos os músculos. Concentre-se em manter sua coluna ereta e em seguir sua respiração. Solte-se quanto a tudo mais. Abandone-se inteiramente. Se quiser relaxar os músculos de seu rosto, contraídos pelas preocupações, medo e tristeza, deixe um leve sorriso aflorar em sua face. Quando o leve sorriso surge, todos os músculos faciais começam a relaxar. Quanto mais tempo o leve sorriso for mantido, melhor.
  • À altura do ventre, pouse sua mão esquerda com a palma voltada para cima sobre a palma da mão direita. Solte todos os músculos dos dedos, braços e pernas. Não se prenda a nada a não ser à respiração e ao leve sorriso.
  • Durante esse tempo, você tem que ser capaz de obter descanso total. A técnica para tal obtenção reside em duas coisas: observar e soltar, observar a respiraçãoe soltar tudo mais. Solte cada músculo de seu corpo. Após uns quinze minutos, uma serenidade profunda poderá ser alcançada, enchendo-o interiormente de paz e contentamento. Mantenha-se nessa quietude. Esta prática é dos melhores remédios para se aliviar o estresse.

Meditação na cidadeNão há um tempo mínimo preestabelecido. Pode-se iniciar com um período de poucos minutos e, conforme se aperfeiçoa, esse tempo pode aumentar até para horas, dias, ou em casos excepcionais, até meses, como foi o caso de Palden Dorje. O mais importante é a frequência da prática, preferencialmente diária.

A meditação pode ser praticada por diversos motivos: desde o simples relaxamento até a busca pelo Nirvana. Muitos praticantes da meditação têm relatado melhora na concentração, consciência, autodisciplina e equanimidade.

Namastê.

 

Fonte: Wikipédia

Vegetarianos São Mais Inteligentes

VegetarianismoUma pesquisa que examina a relação do Q.I. (Quociente de Inteligência), com a dieta a qual uma pessoa é submetida entre os 10 e 30 anos de idade. O estudo mostra que vegetarianos são, em média, 5 pontos mais inteligentes que onívoros (aqueles que comem carne).

Pesquisadores da Universidade de Southaptom, no Reino Unido, avaliaram 8.170 homens e mulheres. Mesmo que os resultados sejam inequívocos, a razão da grande influência da dieta vegetariana no desenvolvimento da inteligência não foi explicada e continua sendo estudada.

Fonte: Artigo da British Medical Journal

 

Exercicios no inverno, recompensa no verão

Saia da cama no frio

O corpo precisa ser estimulado sempre para manter a vitalidade.

Eu sei mais do que ninguém o quanto é difícil levantar cedo, com frio, com chuva para ir á academia. Estamos aqui para enumerar os principais motivos para mudarmos de vez esse pensamento.

Sabemos que falta disposição no frio e a preocupação com o corpo costuma ser menor, já que há uma quantidade maior de roupas para nos aquecer. Vamos aos principais motivos pelos quais não devemos interromper a atividade física no inverno:

  • Perda de massa muscular.
  • Fadiga.
  • Indisposição física.  
  • Problemas nas articulações.
  • Aumento significante do peso (no inverno a tendência é comer mais). 

Alem disso, bastam 10 dias para que você comece a perder massa muscular (chegando a sentir uma leve flacidez) e 15 dias para que a sua capacidade aeróbia comece a diminuir.

Você que já faz exercícios físicos regularmente, sabe que um dos benefícios é a liberação de endorfina. Isso traz a sensação de bem estar, regulariza o sono,  fortalece a massa muscular, sensação de felicidade, etc. Então, como viver sem isso no inverno?

O inverno também é a estação na qual mais aparecem as doenças articulares (artrite e artrose). Isso porque o corpo precisa ser estimulado sempre para manter a vitalidade.

Convencidos? Ok. Agora o mais importante: Antes de se aventurar puxando ferro por aí, é preciso saber que o frio exige ainda mais preparo antes do treino. Aquecer é fundamental, já que os músculos estão mais contraídos que o normal. Vinte minutos de exercício aeróbico resolvem o problema e evitam lesões. Ah! Não se esqueçam também do alongamento para fechar o treino com chave de ouro.

malhar no inverno, recompensa no verãoDe uma coisa vocês podem ter certeza, vão chegar no verão em ótima forma.

Bom treino.

Colaboração: Magali Cesar – preparadora física, pós graduada em Fisiologia do Exercício (Univ. Gama Filho).